sábado, 24 de junho de 2017

DEUS É O MESMO, ONTEM, HOJE E SEMPRE

BAAL-PEOR: O DEUS DOS PECADOS SEXUAIS

Não nos enganemos! O mesmo Deus que puniu os adoradores de Baal-Peor continua a reivindicar santidade e pureza de cada um de seus filhos.
Leitura Bíblica: Números 25.1-3,9; Apocalipse 2.14-17

No entanto, tenho contra você algumas coisas: você tem aí pessoas que se apegam aos ensinos de Balaão, que ensinou Balaque a armar ciladas contra os israelitas, induzindo-os a comer alimentos sacrificados a ídolos e a praticar imoralidade sexual. De igual modo você tem também os que se apegam aos ensinos dos nicolaítas. Portanto, arrependa-se! Se não, virei em breve até você e lutarei contra eles com a espada da minha boca. Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao vencedor darei do maná escondido. Também lhe darei uma pedra branca com um novo nome nela inscrito, conhecido apenas por aquele que o recebe. Apocalipse 2:14-17
INTRODUÇÃO
O pastor John MacArthur afirmou certa vez que “Deus julga o seu próprio povo antes de voltar sua ira aos cds”. Esta verdade, que muitos cristãos hoje preferem ignorar, cumpriu-se numa trágica etapa da peregrinação de Israel rumo à Terra Prometida.
Refiro-me ao episódio de Baal-Peor. Os varões hebreus, seduzidos pelas moabitas, não somente prostituiram-se com estas, como também acabaram por adorar a horrenda divindade daquele povo pagão.
O julgamento divino não tardou. Vinte e quatro mil israelitas são exterminados pelo Deus que não pode aturar a impureza entre os seus filhos. Não pense que o culto a Baal-Peor ficou no passado. Muitos crentes, sem o saberem, estão convivendo com essa abominação.

I. BAAL-PEOR – O DEUS DA SENSUALIDADE

Quem era Baal: Era o deus supremo dos cananeus. Em hebraico, Baal significa senhor. Seus adoradores acreditavam fosse o ídolo o responsável pela abundância da terra e pela fertilidade do ventre.
  1. Em Peor, região de Moabe, havia uma versão local dessa divindade, que era adorada conjuntamente por moabitas e midianitas. Foi nessa localidade de Sitim, bem defronte de Jericó, que Israel rompeu a aliança com o seu Deus, pondo-se a cultuar a Baal.
Como Baal era adorado: Sendo o deus da fertilidade, seu culto era marcado pela crueldade e por uma devassidão que envergonharia até Sodoma e Gomorra. Em suas cerimônias havia: 1) sacrifícios de vítimas humanas; 2) orgias e os mais inimagináveis desregramentos; 3) e, logicamente louvores a Baal.
Screen Shot 2017-06-19 at 7.05.19 PM.png

II. A IDOLATRIA E A PROSTITUIÇÃO DE ISRAEL

A história é bastante conhecida. O rei Balaque, de Moabe, contratara Balão para amaldiçoar a Israel. Todavia, o profeta sabia muito bem que jamais poderia amaldiçoar um povo a quem o Senhor cobrira de bênçãos. A fim de não perder os prêmios e os favores do monarca, o profeta desviado mostrou-lhe que só havia um meio de levar Israel ao anátema.
Desse episódio, temos a concluir duas coisas básicas: 1) Nem maldição, nem trabalho de macumba, tem qualquer poder sobre o povo de Deus; 2)No entanto, se nos deixarmos contaminar pelo pecado, estaremos completamente expostos; o próprio Deus nos amaldiçoará (pois a maldição é uma consequência do afastamento de sua santa doutrina). Foi o que aconteceu a Israel.
  1. A prostituição de Israel: Conforme podemos inferir de Ap 2.14-17, Balaão sugeriu ao rei moabita espalhar, por todo o arraial hebreu, mulheres desavergonhadas, e que estas levassem os israelitas à prostituição.
  2. A idolatria de Israel: Da prostituição à idolatria bastou apenas um passo. Dentro em pouco, lá estavam os adoradores do Único e Verdadeiro Deus saboreando as iguarias oferecidas a Baal-Peor, e a este tributando honras e louvores. O autor sagrado assim registra o desregramento dos filhos de Israel: “E Israel deteve-se em Sitim, e o povo começou a prostituir-se com as filhas dos moabitas. Estas convidaram o povo aos sacrifícios dos seus deuses; e o povo comeu e inclinou-se aos seus deuses” (Nm 25.1,2).
  3. A maldição sobre os filhos de Israel: Deus não se deixa escarnecer (Gl 6.8). Ele envia uma praga tão virulenta entre o povo que, num único dia, morreram 23 mil pessoas (1 Co 10.8). De Nm 25.9, conclui-se terem perecido ao todo 24 mil israelitas.

III. A DOUTRINA DE BALAÃO


Não imagine ter a doutrina de Balaão se limitado àquele período da história de Israel. Esse ensinamento foi encontrado na igreja de Pérgamo, e em nossos dias continua a fazer os seus adeptos (Ap 2.14).
Vejamos algumas características dessa maldita teologia:
  1. O pai da doutrina: Não obstante o seu o seu dom profético, Balaão era um obreiro ganancioso e fraudulento; para aumentar seus lucros estava disposto a tudo (2 Pe 2.15). E foi visando o prêmio de Balaque, que ele lhe ensinou a colocar tropeços diante dos filhos de Israel.
  2. A doutrina de Balaão: A teologia de Balaão consiste em levar os filhos de Deus à idolatria e à fornicação (Nm 31.15,16).
  1. O MODERNO CULTO A BAAL
O velho Baal continua o mesmo; tudo faz por induzir os santos à impureza. Seus profetas e adoradores também não mudaram. Vejamos, a seguir, como os seus cultos manifestam-se em nossos dias:
  1. Pornografia: Não são poucos os filhos de Deus que se acham arruinados espiritualmente em consequência de r revistas, filmes e vídeos pornográficos. O Senhor não atura tais coisas; são abomináveis aos seus olhos. Ele é o Santo! E de seus filhos exige vida santa e irrepreensível (Ex 19.6).
É chegada a hora de remirmos o nosso tempo. Ao invés de o desperdiçarmos com filmes e programas permissivos, que tal passarmos mais tempo orando e estudando a Palavra de Deus? Este tem de ser o nosso compromisso: “Não porei coisa má diante dos meus olhos; aborreço s ações daqueles que se desviam; nada se me pegará” (Sl 101.3). Leia Jó 31.1.
pornlies
  1. Diversões carnais: Não são poucas as diversões que, à semelhança de Baal-Peor, só trazem maldição e dolorosa consequências. Não podemos esquecer-nos dos filhos de Eli que, sob a cobertura do ministério paterno, pecaram e levavam o povo a pecar até que Deus os matou (1 Sm 2.22).
Infelizmente, somos obrigados a mencionar os shows promovidos em nossos púlpitos. Cantores e artistas, dizendo-se evangélicos, mas flagrantemente divorciados da graça de Deus, além de nos roubarem todo o tempo da Palavra, arrastam nossos jovens a uma vida leviana e descompromissada com Deus, uma flagrante apostasia e idolatria. A Igreja do Senhor não necessita de artistas e animadores em seus cultos, mas de homens, mulheres, jovens e crianças comprovadamente santos. Cheios do Espírito Santo, hão de adorar ao pai em espírito e em verdade (Jo 4.23,24).
  1. Namoros permissivos: Embora estejamos no terceiro milênio, os padrões bíblicos não mudaram. A Palavra de Deus exige santidade e pureza de cada um de seus filhos. Isto significa que o namoro cristão tem de primar pela decência, recato e moderação. Requer-se que os jovens cheguem virgens, e castos ao casamento. Pureza na alma e pureza no corpo.
Que tenham eles uma vida pura e santa: o Senhor haverá de julgar os fornicários e os que se prostituem (Ap 21.8). Se caiu neste pecado, que se arrependa, confesse e deixe o pecado, e que volte a vida de santidade.
  1. Roupas indecentes e lascivas: Deus exige sejam as vestes de seus filhos modestas e descendentes (1 Tm 2.9). Ensinemos aos nossos jovens que o seu corpo é o templo do Espírito Santo. Tenhamos a necessária coragem de mostrar-lhes que as modas lascivas e sensuais são contrárias ao padrão que a Palavra de Deus nos prescreve.
Cuidado! Deus não mudou. Continua a exigir santidade e pureza de todos os seus filhos. Lembremo-nos da advertência do salmista: “Mui fiéis são os teus testemunhos: a santidade convém à tua casa, Senhor, para sempre” (Sl 93.5).
roupas
  1. Infidelidade conjugal: Numa sociedade permissiva e erotizada como a nossa, o adultério não visto mais como algo reprovável. É toleravelmente aceito; é socialmente incentivado; é legalmente ignorado.
A Bíblia não mudou! Adultério é adultério. Pecado é pecado. Ainda que busquemos justificativas teológicas a tais comportamentos, a verdade bíblica não será alterada (Ex 20.14; Mt 5.28).
  1. Fantasias sexuais: Jó foi um homem que, apesar de todas as adversidades que se abateram sobre si, perseverou a sua integridade. O seu coração não era apenas puro; era casto e inculpável. Veja o que diz ele: “Fiz concerto com os meus olhos; como, pois, os fixaria numa virgem?” (Jó 31.1). O patriarca não alimentava qualquer pensamento lascivo ou adúltero. Ele não se dava às fantasias sexuais que, na Palavra de Deus, recebem outros nomes: adultério, concupiscência dos olhos, impureza (1 Jo 2.16; 2 Pe 2.14).
pensamentos.jpg
CONCLUSÃO
Baal-Peor é uma coisa vergonhosa.
Quando encontrei Israel, foi como encontrar uvas no deserto; quando vi os antepassados de vocês, foi como ver os primeiros frutos de uma figueira. Mas, quando eles vieram a Baal-Peor, consagraram-se àquele ídolo vergonhoso e se tornaram tão repugnantes quanto aquilo que amaram. (Os 9:10)
Os que participam de seu culto perecerão:
“Os vossos olhos têm visto o que o Senhor fez por causa de Baal-Peor; pois a todo homem que seguiu a Baal-Peor o Senhor, teu Deus, consumiu do meio de ti” (Dt 4.3).
A Bíblia é clara quanto às suas reivindicações: “Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição” (1 Ts 4.3). O apóstolo ainda recomenda: “Fugi da prostituição. Todo pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo” (1 Co 6.18).

sábado, 15 de abril de 2017

NUM PEDACINHO DO CÉU

   Amados irmãos e irmãs que leem este espaço virtual, glória e louvor ao Senhor nosso Deus, de Israel, de Isaac e de Jacó. Ele nos revela maravilhas que aumentam geometricamente as nossas esperanças e a nossa fé em Deus e em Seu filho redentor Jesus Cristo cuja páscoa celebramos hoje.
    Ontem, a rede Globo de televisão exibiu o filme "O céu é de verdade" baseado no livro do pastor americano Todd Burpo. Basicamente é a história de menino Colton, filho de Todd, acometido aos 4 anos de uma apendicite que havia rebentado, deixando-o entre a vida e morte. Neste átimo de tempo, Colton esteve no colo de Jesus e foi recebido pelo avô e por uma irmã que sequer sabia que existia. Ele contou à sua mãe que ela havia tido um aborto e que a menina (sem nome) recebeu-o com muita alegria no céu.
    Enquanto assistia às cenas do filme, lembrei-me que também eu em 1980 havia perdido minha segunda filha, natimorta, sem conhecer a causa-mortis. Então fui possuído de extrema alegria e louvores e agradecimentos ao Pai. Com efeito, se a irmã que Colton nem conhecia estava no Reino de Deus, minha filha que jamais viu a luz deste mundo, também está. Meu coração rejubilou-se de tamanha alegria. Obrigado Senhor, não mereço essa recompensa. Tudo é vossa graça! Quanto Vos adoramos e glorificamos, ó Pai maravilhoso!!!
Dai-nos ó Pai o mesmo destino de minha filha e da irmã de Colton!!! Vos pedimos por Jesus Cristo nosso Único intercessor e Salvador dos homens!
    O filme faz um paralelo com a menina lituana, chamada Akiane Kramarik que encontrou na pintura. desde seus primeiros anos, a revelação divina do verdadeiro rosto de Jesus. Certo noite ela pediu a Jesus para vir até sua casa a fim de que ela pudesse retratá-lo. No dia seguinte apareceu um homem no portão a quem Akiane atendeu. Disse-lhe o homem: Eu sou Jesus, o Filho de Deus. O retrato foi este desenhado por Akiane:

AO VER ESTA IMAGEM, COLTON EXCLAMOU: "É ELE!!!"
MENINA PRODÍGIO AKIANE KRAMARIK.


sábado, 25 de março de 2017

NÃO EXISTIR PARA SI MESMO

     O nosso querido Papa Francisco deixa-nos uma mensagem tão simples quanto divina, parece o próprio Cristo a nos fazer recordar: "Viveis para os outros, não para vós!" Assim o Pai de Misericórdia fez a natureza dada de presente para cada um de nós. Bendito e louvado seja o Senhor Deus do universo, adorado seja para todo o sempre!

Bela Reflexão

"Os rios não bebem sua própria água; as árvores não comem seus próprios frutos. O sol não brilha para si mesmo; e as flores não espalham sua fragrância para si. Viver para os outros é uma regra da natureza. (...)
A vida é boa quando você está feliz; mas a vida é muito melhor quando os outros estão felizes por sua causa".

Papa Francisco - Ordem dos Jesuítas



quinta-feira, 23 de março de 2017

MOMENTOS

Há momentos inevitáveis
Que o coração da gente pede respostas
É nessa hora
Que a gente diz que não entende a vida e chora

Se a gente soubesse
O quanto merece cada um
O que cada um tem
A gente nada pediria
Simplesmente o bem faria
Para merecer o bem

Eu, que sempre tive o que dizer
Hoje, ouço em silêncio
Levei tempo pra entender
Que só o tempo
Apenas o tempo nos ensina a viver

MOMENTOS - VITOR E LEO (LINDO)

sexta-feira, 17 de março de 2017

VERDADEIRA MISSÃO DO CRISTÃO (VÍDEO EXEMPLAR)

     Que discurso espetacular! Isto sim é pregar o evangelho! As palavras comovem, porém, Deus quer que cada um de nós aja, pratique no dia a dia tudo o que Seu Filho Jesus Cristo nos ensina.
Ouça a palavra completa, são pouco mais de dezesseis minutos...Se você gravá-las em seu coração, sua vida mudará e você sentir-se-á muito mais feliz aqui na terra e - melhor ainda, na Eternidade!!!

LAGO NETO aconselha a que todos, independentemente de sua fé religiosa ou ausência dela,  ouçam, com atenção, a homilia ora divulgada.

quinta-feira, 9 de março de 2017

NOSSA IGREJA SE PERDENDO

    Rodrigo Constantino em seu blog traz um importante artigo sobre o colégio Santo Agostinho, do Rio de Janeiro, um dos melhores do país no ensino onde o próprio Constantino se formou. Leia seu artigo neste LINK
    O colégio católico por excelência usa o anti-cristão Gregório Duvivier como tema de uma prova de português. Segundo Constantino, isto é um retrocesso ou decadência da religião católica, inclusive, segundo ele, aviltando o próprio santo que empresta o nome à escola. Será que a parte intelectual do catolicismo está mesmo regredindo?

sábado, 28 de janeiro de 2017

AS BOAS OBRAS SÃO IMPUTÁVEIS

    Toda hora recebemos revelações de alguém cometeu algum delito ou vários crimes que por certo tempo ficaram encobertos. No Brasil a operação Lava Jato principalmente nos trouxe à tona a face oculta de diversos políticos e empresários. Crimes de lavagem de dinheiro, caixa dois em campanhas políticas, propinas, desvios do erário público em obras sobrefaturadas, uso de "laranjas" para acobertar verdadeiros donos...E tantos outros.
    Então nos vem à mente a fabulosa Carta de Paulo aos Gálatas, no capítulo 5, em que o apóstolo descreve a "Vida pelo Espírito" nos versículos 16 e seguintes:
"Por isso digo: Vivam pelo Espírito, e de modo nenhum satisfarão os desejos da carne. Pois a carne deseja o que é contrário ao Espírito; o Espírito, o que é contrário à carne. Eles estão em conflito um com o outro, de modo que vocês não fazem o que desejam. Mas, se vocês são guiados pelo Espírito, não estão debaixo da Lei.
   Ora, as obras da carne são manifestas: imoralidade sexual, impureza e libertinagem; idolatria e feitiçaria; ódio, discórdia, ciúmes, ira, egoísmo, dissensões, facções e inveja; embriaguez, orgias e coisas semelhantes. Eu os advirto. como antes já os adverti: Aqueles que praticam essas coisas não herdarão o reino de Deus.
     Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio.Contra essas coisas não há lei. Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos. Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito. Não sejamos presunçosos, provocando uns aos outros e tendo inveja uns dos outros." (término da transcrição)

     Portanto, caríssimos irmãos em Cristo, algumas transgressões já são punidas aqui na terra, pela lei dos homens. Porém, a pior das condenações é a segunda morte que virá para todos os que não herdarão o reino dos céus.
     Mude, converta-se a Cristo, leia as escrituras. Lembre-se do diz a passagem "o meu povo peca por falta de conhecimento".